sexta-feira, março 02, 2012

O papel da enfermagem na reforma da psiquiatria.- Letícia Ramos da Silva, 6º Enfermagem.


Como já se sabe, a história da saúde publica no Brasil foi marcada por diversos movimentos sociais que buscavam  assistência á saúde como direito de todos, e diante desse contexto de lutas foi o criado o Sistema Único de Saúde (SUS) sancionado na Lei 8.080 de 19 de setembro de 1990.
 A história não é diferente para a assistência a saúde de portadores de transtorno mental que sofreram e ainda sofrem com o descaso diante da sociedade  civil, contudo a luta por esses clientes não pode parar. E nesse contexto entra a Enfermagem como profissão de grande relevância para a assistência desse grupo, que por sua vez já foi excluído da sociedade trancados em manicômios e  só a partir dos anos 70 com o inicio da reforma da psiquiatria e seus objetivos de cuidar e enxergar essa população como pessoas que carecem de atendimento holístico e ao mesmo tempo individualizado. E diante desse problema que assola os portadores de transtornos mentais e seus familiares, os profissionais buscam outras formas terapêuticas de cuidar desses pacientes para que eles tenham direitos e deveres iguais as de qualquer outro cidadão.
E para que este trabalho com os portadores de transtorno mental seja diferenciados e moldados de acordo com a necessidade de cada um, os profissionais enfermeiros utilizam de sua principal arma de trabalho que é a Sistematização da Assistência de enfermagem para que estes clientes sejam atendidos e compreendidos no seu todo, e como pessoas que necessitam de atenção especial, e também para que a reforma para assistência a este publico aconteça os enfermeiros cuidadores não vai desistir de lutar e fazer o melhor para  que eles possam desfrutar dos seus direitos de cidadãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário